fbpx
imagem do carregador

[:isto é]

A compra centralizada de medicamentos: cabeçalho do MINSALUD

equipo8

Por: Diana González-Bravo
MD, Epidemiologista
Pesquisador MBE
Neuroeconomix

Você sabe o que é compra centralizada de medicamentos? Você sabe de onde vêm os recursos para financiá-lo?  A compra centralizada adaptada na Colômbia para Hepatite C abriu uma polêmica multissetorial no país. Da mesma forma, serviu de exemplo para outros países latino-americanos seguirem o mesmo caminho.

[Contagem TheChamp-Sharing = »1 ″ total_shares =» ON »title =» SHARE »]

O que é?

Uma compra centralizada é um processo no qual várias unidades de negociação de compra se associam e contratam serviços em comum. O Ministério da Saúde e Proteção Social da Colômbia será responsável pela negociação e compra centralizada de medicamentos (assim estabelecido pelo artigo 88 da Lei 1438 de 2011), a fim de garantir o acesso aos medicamentos à população colombiana e não colapsar o financeiro sustentabilidade do SGSSS.

 

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) desenvolveu um fundo econômico estratégico para financiar medicamentos de alto custo (Fundo Rotativo da OPAS). Em resposta a essa demanda, a OPAS incorporou a este fundo as alternativas terapêuticas mais modernas e eficazes para o tratamento da hepatite C, com preços mais acessíveis (OPS.org).

 

 Por que existe compra centralizada?

 

A hepatite C é uma doença cara, que atualmente desafia os sistemas de saúde em todo o mundo. O MINSALUD estima que 400.000 colombianos tenham o vírus e que 60.000 dessas pessoas necessitarão de tratamento específico entre 2017 e 2030 *.

 

Em julho de 2017, o MINSALUD Colômbia incorporou o mecanismo de compras centralizado da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), para o tratamento da Hepatite C. Nesse novo cenário, o tratamento combinado de daklinza + sovaldi cairá de 137,2 milhões para 29 milhões pesos por pacientee tratamento harvoni de 114,3 milhões a 23,5 milhões *.

 

A compra centralizada beneficiará mil colombianos e gerará uma economia de 292 bilhões de pesos no primeiro ano de operação, o que significa uma redução de mais de 90% em relação ao preço anterior. Com um mecanismo de compra diferente, o tratamento desses pacientes exigiria um investimento de 7,8 trilhões de pesos nos próximos 14 anos *.

 

* Informações retiradas de: 24/ 07/2017 Boletim de Imprensa nº 098 de 2017, MINSALUD. Disponível em: https://www.minsalud.gov.co/Paginas/Medicamentos-contra-hepatitis-C-ahora-80-mas-baratos.aspx

 

Regulações legais

 

Resolução 1692 de 2017, onde se estabelecem os critérios de centralização da compra, distribuição e fornecimento de medicamentos para hepatite C e acompanhamento dos pacientes com diagnóstico de dita patologia e dá-se outras providências.

 

Assistir PDF Resolução 1692 de 2017

 

Como é feito? - Hepatite C

 

Os critérios para considerar a compra centralizada de medicamentos para Hepatite C não cobertos pelo Plano de Saúde com cobrança da UPC, estão listados a seguir (resolução 1.692 de 2017):

 

mano con med

 

  1. As informações epidemiológicas e demográficas relacionadas à hepatite C. crônica
  2. Reconhecimento por serviços e tecnologias não cobertos pelo plano de benefícios a cargo da UPC.
  3. As evidências científicas disponíveis sobre a eficácia e segurança dos tratamentos.
  4. O impacto esperado de fornecer o tratamento.
  5. A disponibilidade de recursos.

 

 

E de onde vem o dinheiro?

 

De acordo com o artigo 5º da resolução 1692 de 2017 “a compra centralizada de medicamentos será feita com recursos da Subconta de Compensação do Fundo de Solidariedade e Garantia - FOSYGA ou da entidade que o substitua, destinada ao financiamento das recuperações de serviços e tecnologias não abrangidas pelo Plano de Benefícios a cargo da UPC e dos recursos que os entes territoriais detêm ou autorizam para esse fim, conforme corresponda aos Regimes Contributivos ou Subsidiados ”.

 

Como esses medicamentos são prescritos, distribuídos e entregues? - Hepatite C

 

Uma vez confirmado o diagnóstico de hepatite C, incluindo genotipagem, o médico prescrever doses completas de medicamentos não cobertos pelo Plano de Benefícios de Saúde cobrados da UPC para o tratamento, de acordo com as diretrizes de prescrição estabelecidas no Guia de Prática Clínica definido pelo MINSALUD (Mipres).

 

Veja as instruções MINSALUD Colômbia: Prescrição de medicamentos para hepatite C até Mipres https://www.youtube.com/watch?list=PLdA3cVDe-LYz3UQ6K3qMwGJE_iJhVcUrs&time_continue=15&v=irSaQ2MGVKY

 

A distribuição dos medicamentos adquiridos pelo Ministério da Saúde e Proteção Social aos associados da SGSSS, será feita através do seu operador logístico. A entrega às Entidades de Promoção da Saúde (EPS) será feita com base nos casos notificados e confirmados pelo Sistema de Vigilância em Saúde Pública - SIVIGILA (resolução 1.692 de 2017).

 

De quem é a responsabilidade?

 

Caberá ao EPS: a prestação dos serviços de saúde e o fornecimento supervisionado de medicamentos, garantindo a entrega e a ingestão diária supervisionada pelo pessoal de saúde responsável pelo atendimento, monitoramento e acompanhamento do paciente através do IPS.

 

A Conta de Alto Custo será responsável por consolidar, analisar e entregar as informações ao Ministério da Saúde e Proteção Social.

 

Não perca os prós e os contras da compra centralizada em 8 dias.

 

Para obter mais informações sobre as últimas notícias sobre legislação na Colômbia e farmacoeconomia:

 

[likebtn theme = »custom» btn_size = »42 ″ f_size =» 20 ″ icon_size = »36 ″ icon_l_c_v =» #8a1414 ″ icon_d_c_v = »#8a1414 ″ bg_c =» #ffvffv3c = »#ffvffv3 =» bg_cffTffTf = »#ff3Tfv =» bg_cff3TffTvff = »#ffTf =» bg_cff3TffTvff = »#ffTff =» bg_cff3TffTvff = »#ffTf =» #ffTf = »bg_cff3TffTvff =» #ffTcf = »#ffTcf =» bg_ffTfTvff »#ffffff 1» bg_c3Tvff = »#ffffff 1» bg_c3Tvffff = »é» dislike_enabled = »0 ″ icon_dislike_show =» 0 ″ alinhamento = »centro»]

Referências

República da Colômbia. Ministério da Saúde e Proteção Social. Resolução 1692 de 2017.

24/07/2017 Boletim de Imprensa nº 098 de 2017, MINSALUD. Disponível em: https://www.minsalud.gov.co/Paginas/Medicamentos-contra-hepatitis-C-ahora-80-mas-baratos.aspx

Ministério da Saúde e Proteção Social. Governo da Colômbia. Disponível em: https://www.minsalud.gov.co/salud/MT/Paginas/negociacion-y-compra-centralizada-de-medicamentos.aspx

Washington, DC, 28 de fevereiro de 2017. (OPAS / OMS). O Fundo Estratégico da OPAS incorpora medicamentos de alto custo para o tratamento da Hepatite C. Disponível em: http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=13001%3Apaho-strategic-fund-hepatitis-c-2017&catid=4669%3Aannouncements-hss&Itemid=39594&lang=es

ASSINAR NOSSO BLOG

[contact-form-7 id = »361 ″]
[:sobre]

Aquisição centralizada de medicamentos na Colômbia

equipo8

Por: Diana González-Bravo
MD, Epidemiologista
Pesquisador MBE
Neuroeconomix

Você sabe o que é aquisição centralizada de medicamentos?  Você sabe de onde vêm os recursos para financiá-lo? A aquisição centralizada de medicamentos foi adaptada na Colômbia inicialmente para Hepatite C. Essa primeira tentativa abriu uma controvérsia multissetorial em todo o país. Além disso, serviu de exemplo para que outros países latino-americanos fizessem o mesmo caminho.

[Contagem TheChamp-Sharing = »1 ″ total_shares =» ON »title =» SHARE »]

compra med 3

 

O que é?

A aquisição centralizada de medicamentos é um mecanismo econômico no qual várias unidades de negociação de compra, serviços associados e contratos em comum. O Ministério da Saúde e Proteção Social da Colômbia será responsável pela negociação e compra centralizada de medicamentos (artigo 88, Lei 1438 de 2011), a fim de garantir o acesso aos medicamentos para a população colombiana e não prejudicar a sustentabilidade financeira da o sistema de saúde.

 

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) desenvolveu um fundo econômico estratégico para financiar medicamentos de alto custo (Fundo Rotativo da OPAS). Em resposta a essa demanda, a OPAS incorporou a este fundo as alternativas terapêuticas mais modernas e eficazes para o tratamento de doenças de alta prevalência (por exemplo, hepatite C), com preços mais acessíveis (OPS.org).

 

Qual é a razão para a aquisição centralizada de medicamentos?

A hepatite C é uma doença de alto custo, que atualmente representa um desafio para os sistemas de saúde no mundo. O Ministério da Saúde da Colômbia estima que 400.000 colombianos têm o vírus e que 60.000 dessas pessoas necessitarão de tratamento específico entre 2017 e 2030 *. Em julho de 2017, o ministério da saúde incorporou o mecanismo centralizado de compras da OPAS para o tratamento da hepatite C. Nesse novo cenário, o tratamento combinado de daklinza + sovaldi diminuirá de 137,2 milhões a 29 milhões de COP por pessoa. Para o tratamento com harvoni, o custo por pessoa reduzirá de 114,3 milhões para 23,5 milhões de COP *.

 

A aquisição centralizada beneficiará mil colombianos e gerará uma economia de 292 bilhões de COP para o sistema de saúde no primeiro ano de operação, o que significa uma redução de mais de 90% em relação ao preço anterior. Com um mecanismo diferente de compra de medicamentos, o tratamento desses pacientes exigiria um investimento de 7,8 trilhões de pesos nos próximos 14 anos *.

 

* Informação retirada de: 24/07/2017 Comunicado de imprensa nº 098 de 2017, Ministério da Saúde e Proteção Social (MINSALUD). Disponível em: https://www.minsalud.gov.co/Paginas/Medicamentos-contra-hepatitis-C-ahora-80-mas-baratos.aspx

 

Regulações legais

Resolução 1.692, de 2017, que estabelece os critérios para a centralização da aquisição, distribuição e fornecimento de medicamentos para Hepatite C e acompanhamento de pacientes com diagnóstico dessa patologia e dá outras providências.

Ver  Resolução 1692 de 2017

 

Como isso é feito? - Hepatite C

Os critérios para considerar a aquisição centralizada de medicamentos para Hepatite C não cobertos pelo plano de saúde da UPC estão listados abaixo (resolução 1.692 de 2017):

 

mano con med

1) Informações epidemiológicas e demográficas relacionadas à hepatite C crônica

2) O reconhecimento de serviços e tecnologias não cobertos pelo plano de benefícios a cargo da UPC.

3) As evidências científicas disponíveis sobre a eficácia e segurança dos tratamentos.

4) O impacto esperado do fornecimento de tratamento.

5) A disponibilidade de recursos.

 

De onde vem o dinheiro?

De acordo com o artigo 5º da resolução 1692 de 2017 «a compra centralizada de medicamentos será realizada a cargo dos recursos da subconta do FOSYGA (Compensação do Fundo de Solidariedade e Garantia) ou da entidade que fizer a sua vez, destinada ao financiamento da recuperação de serviços e tecnologias não abrangidos pelo plano de benefícios de saúde a cargo da UPC e dos recursos que os entes territoriais possuam ou autorizem para esse fim, de acordo com os regimes contributivos ou subsidiados ».

 

Como esses medicamentos são prescritos, distribuídos e entregues? - Exemplo de hepatite C

Uma vez confirmado o diagnóstico de Hepatite C, incluindo genotipagem, o médico irá prescrever as doses completas dos medicamentos não contemplados no Plano de Benefícios de Saúde cobrados da UPC para tratamento, de acordo com as diretrizes de prescrição estabelecidas no Guia de Prática Clínica definido pelo Ministério da Saúde da Colômbia (Mipres).

 

Veja o instrutivo Ministério da Saúde da Colômbia: Prescrição de medicamentos para hepatite C por meio de Mipres
https://www.youtube.com/watch?list=PLdA3cVDe-LYz3UQ6K3qMwGJE_iJhVcUrs&time_continue=15&v=irSaQ2MGVKY

 

A distribuição dos medicamentos adquiridos pelo Ministério da Saúde e Proteção Social aos integrantes do sistema de saúde será feita por meio de seu operador logístico. A entrega às Entidades Promotoras de Saúde (EPS) será realizada de acordo com os casos notificados e confirmados por meio do Sistema de Vigilância em Saúde - SIVIGILA (resolução 1.692 de 2017).

 

De quem é a responsabilidade?

O EPS será responsável por: prestação dos serviços de saúde e fornecimento supervisionado do medicamento, garantia da entrega e ingestão diária supervisionada pelo pessoal de saúde responsável pelo atendimento, monitoramento e acompanhamento do paciente através do IPS.

 

A conta de alto custo colombiana será responsável por consolidar, analisar e entregar as informações ao Ministério da Saúde e Proteção Social.

 

Não perca os prós e contras da compra centralizada em 8 dias.

 

Para obter mais informações sobre a legislação mais recente na Colômbia e farmacoeconomia:

Resolução 5269 de 2017

Regulação de preços

Regulamentação de preços de medicamentos II

Decreto 433 de 5 de março de 2018

Referências

República da Colômbia. Ministério da Saúde e Proteção Social. Resolução 1692 de 2017.

24/07/2017 Comunicado de Imprensa nº 098 de 2017, MINSALUD. Disponível em:https://www.minsalud.gov.co/Paginas/Medicamentos-contra-hepatitis-C-ahora-80-mas-baratos.aspx

Ministério da Saúde e Proteção Social. Governo da Colômbia. Disponível em: https://www.minsalud.gov.co/salud/MT/Paginas/negociacion-y-compra-centralizada-de-medicamentos.aspx

Washington, DC, 28 de fevereiro de 2017. (OPAS / OMS). O Fundo Estratégico da OPAS incorpora medicamentos de alto custo para o tratamento da Hepatite C. Disponível em: http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=13001%3Apaho-strategic-fund-hepatitis-c-2017&catid=4669%3Aannouncements-hss&Itemid=39594&lang=es

ASSINAR NOSSO BLOG

[contact-form-7 id = »1965 ″]
[:]

Compartilhe em facebook
Compartilhe em twitter
Compartilhe em linkedin
4 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Federico Ramirez
3 anos atrás

Olá, o artigo de acompanhamento desta compra centralizada foi publicado? aquele dos prós e contras? Obrigado

Guido Mercado Cervera
3 anos atrás

Quais seriam os critérios de seleção das moléculas a serem compradas?
Tendo em conta a diversidade de produtos existentes no mercado.

Postagens em destaque
Tem um projeto semelhante

Agende uma videochamada e vamos conversar!

Inscreva-se no nosso blog